Eirich do Brasil
eirich@eirich.com.br

O novo cenário do setor de mineração 18/11/2020

Sem comentários

No setor de mineração, diferentes commodities estão enfrentando variadas pressões de mercado e volatilidade de preços que influem no fluxo de caixa e na liquidez. Segundo a consultoria KPMG, entre o primeiro e segundo trimestres de 2020, cobre, níquel e alumínio caíram até 20%. Os preços dos minerais para baterias continuaram caindo, enquanto o minério de ferro e o ouro permaneceram relativamente estáveis.

Como as incertezas são muitas, os líderes das empresas de mineração devem se lembrar de investir em uma comunicação eficaz. Todos os stakeholders, não apenas os acionistas, desejam se manter informados. As organizações e o setor de mineração, de forma mais ampla, podem se sair bem com isso, com comunicação transparente e oportuna para funcionários, comunidades, governo, fornecedores e clientes.

Monitorando riscos

É vital monitorar os riscos de ponta a ponta da cadeia de suprimentos no setor minerador e se adaptar à medida que os problemas surgem. Isso requer uma compreensão muito clara de onde pode ocorrer o risco elevado de gargalos, falha de equipamento ou fornecedor e que os planos de contingência para gerenciá-los sejam claros.

A verdade é que as empresas do setor minerador vão encarar a crise em velocidades diferentes. Muito dependerá de sua capacidade de resistir aos choques durante a crise, seu grau de agilidade e ações futuras da liderança.

Essas lideranças devem assumir três dimensões para enfrentar a crise: responder, recuperar e prosperar, a partir de algumas etapas como:

  • Determinar como manter atividades críticas ao mesmo tempo que garantam a segurança dos funcionários em cenários diversos
  • Focar esforços na compreensão do impacto nas finanças e formular planos para manter a estabilidade financeira durante os tempos de incerteza
  • Considerar se a crise pode ser usada como catalizadora de uma nova cultura, repensando como e onde o trabalho é realizado, impulsionar a habilidade de colaborar de forma remota e acelerar a adoção da automação e da digitalização dos processos

As empresas precisam ser cuidadosas na geração de seus cenários e estarem preparadas para tomar decisões ousadas, apesar das incertezas. Elas também precisarão ir além de suas fórmulas tradicionais de resiliência e contar com parceiros em toda a sua cadeia de produção.

Contribuindo para a resiliência

O ferro – em sua utilização como aço ou ferro fundido – é o metal mais usado na sociedade moderna. Os depósitos de minério natural geralmente são constituídos por óxidos, carbonatos ou sulfetos de ferro, misturados à ganga que precisa ser separada durante o processamento. Para fazer isso, o minério bruto é quebrado em várias etapas até que possa ser alimentado em um estágio de flotação como um pó fino, no qual a ganga é então amplamente separada. O minério fino restante é pelotizado, e as pelotas verdes são endurecidas termicamente. As pelotas são a matéria-prima ideal para a produção de ferro em processo de alto-forno ou via redução direta. Juntamente com o minério de ferro, eles também podem conter agregados necessários para fins metalúrgicos. As usinas de pelotização são normalmente operadas perto das minas de minério.

O minério fino por si só não tem força de ligação. Para pelotizar é necessário misturar em aglutinantes (como a bentonita), agregados (como o calcário ou dolomita) e água. A distribuição uniforme de todos esses materiais desempenha um papel muito significativo para o rendimento adequado das pelotas. Os sistemas de mistura convencionais frequentemente apresentam problemas devido ao seu projeto. Esses misturadores geralmente possuem áreas localizadas nas quais a umidade do material é muito alta. Como resultado, grandes aglomerados indesejáveis ​​- isto é, grãos superdimensionados – se formam no disco pelotizador, e estes então precisam ser selecionados e reprocessados.

Problemas com a distribuição de sólidos e líquidos, acúmulo de material, não existem ou são minimizados ao utilizar misturadores intensivos Eirich. Com a nossa tecnologia, o material misturado não é movido por ferramentas de mistura, mas, em vez disso, é transportado para as ferramentas de mistura por meio da cuba rotativa de mistura. Além disso, todo o conteúdo do misturador é movido em uma única volta da cuba de mistura. As ferramentas de mistura podem operar a velocidades de mais de 30 m/s. Isso torna possível gerar alta força de cisalhamento e distribuir sólidos e líquidos rapidamente. O resultado: qualidade de mistura e níveis de distribuição de umidade que normalmente não podem ser combinados por outros sistemas de mistura. Conheça toda a nossa tecnologia e soluções para o setor de mineração.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *